Diariamente e para sempre

Postado por Marina Frael no dia 19.10.12
Não lembro de ter tido um dia de paz ao seu lado, e o pior, era isso que eu mais amava. Nos conhecemos discutindo sobre qualquer coisa sem importância que já nem lembro mais. Vivemos e convivemos através de implicâncias e briguinhas bobas. Nós adorávamos. Eu escondia seus cigarros porque odiava que você fumasse. Você fumava só pra me irritar e ainda jogava toda a fumaça na minha cara. Você me mordia e deixava marca, dizia que a marca ia ficar em mim pra sempre, assim como você. Eu te amava desse seu jeito meio torto, você me amava apesar de todos os meus defeitos. Você odiava a bagunça que eu fazia nas suas coisas quando procurava algo. Eu muitas vezes bagunçava de propósito mesmo sem querer achar nada. Tudo o que eu precisava eu já tinha achado, e se resumia a você. A gente se olhava nos olhos e se beijava. Seus olhos eram minha parte favorita. Eles mostravam alguém inocente e ingênuo, eles escondiam um alguém que você odiava mostrar, mas eu conhecia muito bem. E você me odiava por isso. Você conhecia meus medos e pontos fracos e os usava contra mim. Brigávamos, reconciliávamos, brincávamos, nos beijávamos. Era amor e ódio, o típico tapas e beijos. Mas nada disso foi o suficiente pra dar certo. O nosso amor não teve um fim, o amor não acabou, o amor não esfriou, só o relacionamento que foi embora. Decidimos parar de sofrer ao mesmo tempo que decidimos esquecer uma parte de nós. Sim, você era uma parte de mim e eu resolvi te esquecer. Missão mal sucedida. Pelo menos tentei. Ainda penso em você, diariamente e para sempre. 
Marininha Frael

0 comentários:

Postar um comentário

 

universo de uma louca Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos